Crô em Família | Crítica

Crô em Família

Com um tom familiar e mais leve do que o primeiro longa, Crô – O Filme, de 2013, (que conquistou mais de um milhão e novecentas mil espectadores nas telonas), a nova produção nacional estrelada por Marcelo SerradoCrô Em Família, chega aos cinemas com direção da brilhante Cininha de Paula. Cinco anos após os acontecimentos do primeiro filme, o icônico personagem e ex-mordomo, Crô (Marcelo Serrado),  se vê em uma confusão onde um grupo de pessoas surge de repente se apresentando como sua família perdida. O filme reúne atores comediantes que são destaques no cinema, TV e internet, interpretando pessoas LGBT, e faz um grande mix de talentos em tela. Alguns exemplos são: a presença do Marcus Majella (que interpreta o Ferdinando na série Vai Que Cola do Multishow), o brilhante Luis Miranda, que agrega muito valor à toda produção, graças às suas ótimas atuações e habilidade pra fazer humor, e o espetacular e jovem ator Jefferson Schoreder, conhecido por fazer várias vozes na internet. No filme, Jefferson interpreta a Geni, amiga inseparável do Crô e auxilia a trama a fluir com sua ótima e divertida jornada.

O Marcelo Serrado tráz um Crô mais maduro na comédia, e o humor do filme vem das situações do cotidiano, da vida em família. Em tempos onde existe uma preocupação com limite ético no humor, o estilo do perfil caricato do protagonista não soa preconceituoso. O Crodoaldo é um personagem “cartoonizado” desde sua criação e não poderia ter essa sua característica essencial alterada, fato que o fez ser um sucesso e virar filme. Vale salientar que não existe problema no fato do protagonista utilizar antigas frases de efeito como “pedir pra parar, parou” ou “sai da minha aba”. Tais recursos narrativos ajudam a exaltar a personalidade antiga do personagem. Desse modo, o filme articula situações “fora do lugar”, para extrair delas os efeitos cômicos de chavões e trejeitos que deixaram o personagem famoso em 2011, quando foi criado por por Aguinaldo Silva para a novela Fina Estampa. As belas e divertidas atuações da Arlete Salles também agregam muito valor ao longa, e nos faz ter a sensação de que poderíamos ter a Arlete por mais tempo em cena.

Desta vez, Crô é dono de uma escola de etiqueta, é rico, famoso e solitário, sofre por amor, tem uma blogueira repórter em sua cola, e tem a sua casa invadida por uma família que se diz sua devido ao fato do Crô ter uma marca de nascença similar a de todos os homens daquela família.

Definitivamente este é um filme para divertir toda a família. A estreia acontece nesta quinta-feira, 06 de setembro.

Confira abaixo o trailer do longa:

Para mais informações sobre Crô, curtam e sigam nossas Redes Sociais.