Nasce Uma Estrela | Crítica Um filme que ganha sua atenção pelos detalhes

Nasce Uma Estrela Crítica

 A nova releitura de Nasce Uma Estrela traz Lady Gaga como Ally, uma jovem artista que trabalha em um restaurante e canta em um bar de drag queens durante a noite. Um dia o famoso cantor Jack Maine (Bradley Cooper) entra no bar e assiste sua performance, um momento que mudará para sempre a vida dos dois. Enquanto Ally tem um talento incrível e ruma ao estrelato, Jack afunda cada vez mais em seu vício, levando consigo sua carreira. O filme marca a estreia da Bradley Cooper como diretor.

O palco é o cenário recorrente responsável pelos momentos de maiores emoções dentro do longa. Os primeiros acordes entoados por Jack, proporcionam um mergulho rápido na história do personagem, de uma forma muito fácil podemos identificar seu talento e seu vício, não é necessário mais que uma música e um diálogo entre Jack e seu motorista, para que o espectador possa criar um vinculo afetivo com o personagem. Ally é apresentada com a mesma inteligência, dando um ritmo interessante aos primeiros minutos do longa. Os encontros e pequenos detalhes são enfatizados com um slow motion discreto, além de closes providenciais, colaborando para criar ainda mais imersão, convidando o espectador a apreciar esses momentos e se apaixonar junto com o casal.

Lady Gaga não poderia ser uma escolha mais bem acertada para o papel, a cantora empresta verdade à sua personagem, em uma jornada que passa pelo desencanto com a indústria ao estrelato, sendo Jack uma porta de entrada para esse mundo. Ally não está interessada em usar da fama de Jack, é claramente uma mulher apaixonada capaz de suportar situações extremas por amor, além de se mostrar incrivelmente talentosa.  Bradley Cooper, encarna o astro em decadência, um homem derrotado pelo alcoolismo e pelo cotidiano, seu passado difícil, e o vazio que carrega, traçam a personalidade de Jack. Sua relação com o irmão mais velho Bobby (Sam Elliott) cria uma subtrama que dá base para o desenvolvimento de Jack.

Com viradas de roteiro emocionantes, e uma forma empolgante de contar a história, Nasce Uma Estrela consegue ir além das telas com uma trilha sonora impecável, é impossível não sair do cinema querendo ouvir cada música novamente. Um drama contado de forma cuidadosa com desfechos impressionantes.

Nasce Uma Estrela chega aos cinemas brasileiros dia 11 de outubro.

 

 

Para mais informações sobre Nasce Uma Estrela, curtam e sigam nossas Redes Sociais.